sábado, 17 de setembro de 2011

Tricotando...

Em primeiro lugar, quero pedir desculpas pelo sumiço...estava sobrecarregada e acabei deixando meu bloguinho meio esquecido....mas estou de volta, com o modelo de pulôver que mais gosto!!!!
É mais comum fazer casaquinhos para bebês, mas muitas mães preferem o pulôver pela praticidade em vestir sem ter que se preocupar com botões...os bebês nem sempre param quietos na hora de abotoar...


Tricô Irlandês, o mais bonito de todos os estilos, na minha opinião!!!


Esse modelo de "cordas e tranças" foi para um bebê muito amado, que ficou ainda mais lindo com ele!!!


Me distraí e apaguei a foto com o detalhe das cordas, mas depois tiro outra e coloco aqui para ver mais de pertinho...

Enfim....absolutamente lindo!!!!


Um pouco de história....a história do Tricô Irlandês.


É no arquipélado das Ilhas Aran que se produz um dos mais belos e característicos tipos de tricô conhecidos, o "Fisherman Gansey", ou seja, o "suéter dos pescadores". Ficou assim conhecido não só por ser usado por estes, mas por ser TRICOTADO PELOS PRÓPRIOS PESCADORES para protegerem-se do frio quando enfrentam o mar na sua pesca. Lembrando que o clima, em grande parte do ano, é extremamente severo na região; ventos, mar agitado e frio, muito frio.

Não se sabe ao certo, quando se iniciou essa que se tornou a tradição local, mas há cerca de cinco séculos atrás, têm-se os primeiros registros dessa "Arte dos Pescadores das Ilhas Aran" que subsiste até nossos dias.

Alguns historiadores recusam-se a admitir que o tricô tenha sido adotado antes do ano de 1900 (início do século XX) mas há registros de que nos anos de 1700 já se tricotava na região. Há uma lógica histórica, visto que os pescadores precisavam proteger-se do frio; a necessidade certamente foi a grande alavanca dessa arte.

São tricotados com diversos tipos de trançados, losangos, ziguezagues, folhas, flores, espigas, cordas com nós, "diamantes" (retângulos em relevo, preenchidos ou não por outros motivos) e arabescos.

Porém, esses desenhos não eram aleatórios, mas tinham um significado que foi a principal característica do tricô irlandês naqueles tempos; identificavam o pescador e sua família (também chamada de "Clã"), pois nenhum suéter possuía desenhos repetidos.

Os desenhos eram na verdade, símbolos do dia a dia dos pescadores: as cordas (tranças) e os nós, representavam a cordoalha das embarcações. Flores, folhas, espigas, enfim, do que os fizessem lembrar (quem sabe?), das ilhas e da família, e os animasse na lida diária, uma forma de sentirem-se "em casa".Os ziguezagues normalmente simbolizavam os caminhos, as trilhas que levavam até suas casas ou os caminhos existentes nas ilhas.

Os suéteres, aliás, passavam de geração a geração, sendo consertados para que futuros membros do clã os pudessem usar.



Mais sobre essa arte fascinante, os desenhos e seus significados no site abaixo. É sempre muito válido saber mais!!!!

http://www.tricocursos.com.br/museu/ireland/inish5.htm


Quero novamente (e sempre!!!) agradecer as visitas e o carinho que as pessoas tem pelo meu trabalho!!!
Lindo dia a todos!!!
=^.^=



Um comentário:

  1. Um encanto!
    Parabéns pelas mãos de fada! =)
    Tenha um ótimo domingo, Ana.

    ResponderExcluir

Grata por comentar!!!!!!
=D